Twitter: Elon Musk e o Faraó



Elon Musk adquire a rede social Twitter por US$ 44 bilhões.


Eis a manchete!


Muito bem! Antes de iniciar uma reflexão quanto aos motivos da aquisição de um programa de computador, simplório eu diria, por esta vultuosa quantia, cabe o entendimento da real significância de estrambótico valor.

Convertamos então o valor pago em tempo, ou seja, cada dólar despendido equivaleria a um segundo. Assim teríamos na mensuração temporal a quantia de 44 bilhões de segundos pagos pela compra da referida rede social digital.

Antes de prosseguirmos vale uma anterior reflexão, pois para a maioria, a percepção da diferenciação entre um milhão e um bilhão é por demais abstrata.

Um milhão de segundos equivale precisamente a 1 semana, 4 dias, 13 horas, 46 minutos e 40 segundos. Para facilitar o nosso entendimento, arredondemos esse valor para 11 dias.

Agora vamos para uma cifra um tanto quanto aumentada. Quanto tempo temos em um bilhão de segundos? Utilizando a mesma lógica chegamos o valor de 31,71 anos, o que podemos arredondar para 31 anos, 8 meses e meio.

Um milhão é igual a 11 dias. Um bilhão é igual a 31 anos.

Elon Musk pagou pelo Twitter o equivalente aproximado em segundos a 1.364 anos.

Uma outra curiosidade em relação ao valor pago proporei agora: Imagine que você houvesse nascido no primeiro ano da primeira dinastia egípcia, ou seja, no ano 2.635 a.C. Imaginemos ainda que você fosse uma divindade imortal, um nobre Faraó. Assim sendo estaria vivo até os dias atuais para poder rivalizar, quem sabe, com o mortal Elon Musk. Mas imaginemos ainda que além de um divino imortal você tambem fosse um visionário empreendedor, assim, guardaria todos os dias de sua vida o equivalente a um dólar, para que num futuro ainda que distante pudesse comprar o desejado Twitter.

Utilizando o ano atual como parâmetro, 2022, você teria 4.657 aniversários completados. Ainda um jovem para a linhagem dos imortais, convenhamos.

Você ferrenhamente guardou um dólar por dia ao longo deste tempo e agora poderá usufruir de seu esforço e ímpeto poupador para competir com Elon Musk. Pois bem! Vamos verificar o seu vultuoso cofrinho.

4.657 anos equivalem a aproximadamente 1.699.805 dias. Eis aí a sua economia. Conseguiu com seu esforço pouco mais de um milhão e meio de dólares nestes longos anos de vida.

Mas pensemos diferente, você ainda mais determinado guardaria por dia 10 dólares. Se assim fosse, você teria atualmente algo próximo a 16.998.050 de dólares.

Não! Ainda não deu. Pensemos então que você guardaria 100 dólares por dia. Ufa! Agora teria 169.980.500 de dólares. Quantia ainda muito distante do valor desembolsado por Elon Musk.

Força Faraó! Vamos melhorar estas economias nobre imortal. Vamos simular uma poupança de mil dólares diários ao longo destes 4.657 de vida sofrida. Bom! Agora você teria em sua conta corrente 1.699.805.000 de dólares. Enfim um bilionário, mas ainda longe de seu algoz Elon Musk.

Para empatar com o jovem Elon Musk, que possui apenas 50 anos, no valor pago pelo Twitter que fique claro, você teria que guardar ao longo de sua alongada vida de 4.657 anos a quantia aproximada de 25.885,32 dólares por dia.

Bom! Convenhamos, você é apenas um nobre Faraó imortal enquanto Elon Musk é o fundador e diretor de várias empresas de tecnologia, dentre elas: a SpaceX – sistemas aeroespaciais, transporte espacial e comunicações; a Tesla - empresa automotiva e de armazenamento de energia; a OpenAI - pesquisa em inteligência artificial, a Neuralink - Neurotecnologia; a SolarCity – energia solar; e o mais nova integrante do grupo, o Twitter - rede social digital e um serviço de microblog.

Consegue encontrar sinergia entre estas empresas?

Elon Musk teve seu patrimônio estimado recentemente em algo entre 222 e 300 bilhões de dólares.

Se Musk fosse uma nação estaria mais ou menos na posição quarenta do ranking mundial dos PIB’s (Produto Interno Bruto), que corresponde a soma dos valores obtidos em um ano em função de todos os bens e serviços produzidos por um país, estado ou cidade.

Se Musk fosse um país estaria a frente, em relação ao PIB, de aproximadamente 153 outros países do mundo.

Seria então os Sr. Elon Musk um exemplo da capacidade empreendedora de um único e arrojado indivíduo?

Elon Musk é filho de Maye Musk e Errol Musk, modelo e empresário respectivamente. O seu pai adquiriu fortuna explorando uma mina de esmeraldas na Zâmbia localizada próxima ao Lago Tanganica, e isto possibilitou à família Musk uma vida financeiramente tranquila e de certo exótica.

Ao contrário de você, imortal Faraó, Elon Musk nasceu num mundo regido por um sistema econômico e político nomeado por ‘Capitalista’, onde a fortuna dos poucos privilegiados que estão no topo da pirâmide, decorre da exploração da vida daqueles muitos que estão, e permanecerão, em sua base.

Quando você construía pirâmides lá nas margens do Rio Nilo de certo não imaginava tal analogia, não é mesmo querido Faraó?

Mas vamos entender, ou tentar entender, os propósitos do Sr. Musk.

Como vimos, Elon Musk possui um conglomerado empresarial muito singular. Não é segredo que ele se ‘preocupa’ com uma possível extinção humana, que se vier, será consequência da ganância de poucos em detrimento de muitos.

Segundo a ONU – Organização da Nações Unidas, 820 milhões de pessoas passam fome no mundo. Isso representa uma morte a cada quatro segundos, o que totaliza 7,9 milhões de mortos ao ano pela falta de alimento.


Num mundo de abundância, é uma afronta grave que centenas de milhões de pessoas se deitem com fome todos os dias – António Guterres, secretário-geral da ONU

O Instituto Internacional para o Desenvolvimento Sustentável em 2020 estimou que seriam necessários US$ 330 bilhões em investimentos ao longo de dez anos para acabar com a fome global, ou seja, US$ 33 bilhões ao ano, menos de um Twitter por ano.


Se você não pode alimentar cem pessoas, alimente apenas uma. – Madre Teresa de Calcutá

Elon Musk é apenas um dentre outros tantos bilionários do mundo contemporâneo. Segundo o levantamento da FORBES (2022), a ele fazem companhia neste restrito clã, Jeff Bezos (US$191,6 bilhões); Bernard Arnault (176 bilhões de dólares); Bill Gates (139 bilhões de dólares); Larry Page (130 bilhões); Mark Zuckerberg (128 bilhões de dólares); Sergey Brin (US$125 bilhões); Steve Ballmer (US$125 bilhões); Larry Ellison (US$109 bilhões) e Warren Buffett (109 bilhões de dólares).

Talvez seja difícil, para você Faraó, entender o porquê que o mundo é assim. Confesso, é também para mim.

Voltemos a Elon Musk para tentarmos fechar nosso breve raciocínio.

Uma única pessoa quer dominar o espaço sideral, colonizar marte, controlar as IA’s (Inteligências Artificiais), os dados coletados dos demais habitantes e empresas, as informações produzidas por elas, as comunicações, os meios de transporte, a geração e distribuição de energia, os cérebros e seus suportes orgânicos e cibernéticos e os desígnios do ‘mundo pós apocalíptico’.

Então talvez não faça sentido comprar uma empresa deficitária, ‘simplório programa de computador’, por tão vultuosa quantia. Mas, faz todo o sentido quando o objetivo não está na preservação da humanidade, mas do controle dela.

Seria um mero acaso o cargo máximo da ficção “O projeto Marte” (do alemão: Das Marsprojekt) escrito em 1948 e publicado em 1952 por Wernher von Braun se chamar Elon?

Wernher von Braun foi um físico alemão, engenheiro astronauta e arquiteto espacial, colaborador do regime nazista, que se rendeu e se radicou nos Estados Unidos após o término da guerra, passando a colaborar com o embrionário programa espacial norte-americano.

Talvez seja apenas obra do acaso, ou quem sabe o nome dado a Elon Musk por seus pais tenha de fato inspiração na posição máxima (comandante geral) descrita por von Braun; ou ainda que tal obra da ficção tenha inspirado o futuro proprietário do Twitter em suas ambições pessoais. O que podemos afirmar é que tamanho poder na mão de um único homem é menos inspirador e mais temerário.

Ou reagimos ao totalitarismo, o em questão é cibernético econômico e social, ou padeceremos de suas agruras ainda mais.


Bora tweetar?


Prof. Dr. Anderson Luis da Silva

26/04/2022

49 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Foda-se a inocência, a incoerência o medo de ser e fazer por ter. Foda-se o silêncio, a ausência, a indiferença que vem de você. Foda-se suas limitações, seu senso razo, seu disfarce adaptado. Foda-se

Sou um amigo de poucos amigos. Digo daqueles especiais de fato. Pelo menos é o que permite a minha visão deficiente de longínquos horizontes. Não significa que eu não seja popular e bem-quisto por ond

Lâmpada