Foda-se!

Foda-se a inocência, a incoerência o medo de ser e fazer por ter.

Foda-se o silêncio, a ausência, a indiferença que vem de você.

Foda-se suas limitações, seu senso razo, seu disfarce adaptado.

Foda-se seu trabalho, seus sorrisos inventados, sua farsa rotineira, felicidadepassageira.

Foda-se suas opiniões pouco embasadas, seus pratos gourmetizados, sua felicidade perene, seus cadernos desenhados.

Fodam-se os grifos feitos, suas fotos tiradas, suas verdades inventadas por vezes adaptadas.

Foda-se sua orientação, sua convicção, sua história e o seu quase nada.

Foda-se aquilo que vejo, o reflexo do avesso, o pequeno gracejo de quem imagina saber como fazer coalhada.

Foda-se seu dinheiro, seu destino certeiro, sua família amanteigada.

Foda-se sua inadimplência, parca moral ou ciência, suprimida ética destoada.

Foda-se o seu ser social, cultural, modal, angelical ou não.

Fodan-se seus ganhos e suas perdas, suas lágrimas e seus sorrisos, seu carisma introvertido, seu eterno entardecer.

Foda-se seu gosto pouco, sua fé muita ou nula, suas disposições e razões.

Foda-se o que fala e escreve, aquilo no que se atreve, no que sonha viver ou conta orgulhoso ter tido.

Fodam-se os seus títulos, convenções, formações, inconformismos e aforismos prediletos.

Foda-se e goze sozinho...ou só!

FODA-SE!

9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Sou um amigo de poucos amigos. Digo daqueles especiais de fato. Pelo menos é o que permite a minha visão deficiente de longínquos horizontes. Não significa que eu não seja popular e bem-quisto por ond

Lâmpada